terça, 14 agosto 2018 14:58:00

Educar, prevenir, segurança

Todos sabemos que a segurança passa pela prevenção. Lá diz o velho ditado “ Mais vale prevenir do que remediar”.

Uma das missões da escola é promover uma cidadania activa e, por isso, torna-se imprescindível dotar os alunos dos conhecimentos e competências essenciais a uma atitude responsável face à segurança e aos riscos, pois sabemos que as catástrofes associadas à ocorrência de riscos naturais, tecnológicos e mistos podem acarretar consequências muito significativas, mais ou menos graves para as pessoas e bens.

Assim, é de vital importância sensibilizar e consciencializar toda a comunidade escolar e local para a importância de um plano familiar de emergência e para a questão dos riscos naturais e tecnológicos, criando estratégias e comportamentos pessoais e colectivos de prevenção e emergência para fazer face a diferentes situações de risco.

Setúbal é uma importante zona sísmica. A 11 de novembro de 1858 ocorreu um sismo com uma magnitude estimada em 7,1 na escala de Richter, que provocou uma enorme destruição em Setúbal e que foi sentido em todo o território continental.

A autarquia de Setúbal, através do Serviço Municipal de Protecção Civil e Bombeiros de Setúbal, em colaboração com várias escolas do concelho, tem organizado simulacros de sismo e incêndio pelo menos duas vezes por ano nas escolas municipais, no sentido de minimizar os riscos em caso duma catástrofe desta natureza. Como sabemos, as crianças e os jovens têm uma forte influência nas famílias, pelo que acções deste tipo chegam, mesmo que de forma indirecta, a muitos pais e outros adultos. Assim, verifica-se que o esforço que tem sido feito ao longo de vários anos no sentido de informar e sensibilizar a população para estas questões está a surtir efeitos muito positivos, segundo afirmam os responsáveis que têm participado nestas acções. 

A 1 de Março do ano passado, no âmbito do Dia Internacional da Protecção Civil, realizou-se um exercício em todas as escolas públicas do concelho de Setúbal sobre os procedimentos de segurança em caso da ocorrência de uma catástrofe natural.

Às 10h da manhã do dia 2 de Março, soou o alarme em todos os estabelecimentos de ensino público do concelho. Estava a ocorrer uma catástrofe natural, pelo que foi necessário proceder a uma acção de evacuação geral dos alunos, docentes e pessoal não docente.

“É um exercício importante, no seguimento de outros que temos vindo a realizar regularmente nas escolas do concelho, desde 2007, para testar os procedimentos de autoprotecção”, sublinhou Jorge Parrulas, técnico de Proteção Civil da Câmara Municipal de Setúbal, a acompanhar o simulacro na EB n.º 2 de Santa Maria.

Powered by jms multisite for joomla